Seja bem-vindo
A Associação Nacional de Árbitros
de Hóquei em Patins
 
 
     
 
Comunicado da Cajap (24/09/2012)
  Nomeações Europeias para 01.04.2017
Até dia 01/04/2017
  Nomeações Nacional até 23/06/2017
Até dia 23/06/2017
  Nomeações A.P..Aveiro 18-12-2016
Até dia 18/12/2016
 
  Página principal
  A.N.A.H.P
  Orgãos Sociais
  Estatutos
Últimas notícias
Fotos
Eventos
Quadro de árbitros
Regulamentos
  Regras
  Manual de actuação
  R.E.A.H.P
  Regulamento geral da disciplina
Nomeações
 
C.R.A.H.P.S
Resultados
Forum
Chat
Contato
     
Notícias
03/03/07 - Artigo feito por José Felício-Alentejo
.....................................................
07/10/04 - Invisual José Carlos Miranda Costa
.....................................................
01/08/03 - "Errar é humano!".
.....................................................
25/05/03 - SABER AS LEIS NÃO É TUDO
.....................................................
25/05/03 - CONSELHOS AMIGOS PARA UM BOM DESEMPENHO
.....................................................



SABER AS LEIS NÃO É TUDO

"...o Árbitro deve ser uma pessoa que sabe manter-se acima de pressões humanas..."

Ser Árbitro de qualquer modalidade, não é apenas saber as leis que disciplinem a sua pratica, mas, muito mais ainda.

Acima de tudo, o Árbitro deve ser uma pessoa que sabe manter-se acima de pressões humanas, particularmente em pavilhões onde afluem maior numero de espectadores. O Á arbitro deve possuir uma dose bem acentuada de auto-domínio, sem se exceder na "simpatia" que possam ter por qualquer clube, uma vez que assim sendo não terá as condições psicológicas para aplicar "friamente aquilo que a lei determina.

Ao escolher a carreira de Árbitro, qualquer candidato deve estar perfeitamente consciente das suas obrigações e dos problemas que terá pela frente e que não são poucos. As suas atitudes passam a ser julgadas pelo grande e poderoso -PUBLICO- exigente, disposto sempre, e principalmente, a criticar e que por isso mesmo , merecedor do nosso respeito e admiração. O árbitro é sempre um homem criticado e incompreendido. Deve estar sempre bem preparado fisicamente para acompanhar no " Sitio Certo" os lances, pois estando distanciado é sempre mais difícil o julgamento. Ele, dentro de pista, é a autoridade máxima, é árbitro mas também é juiz; e o que resolver está resolvido, devendo o mais possível evitar decisões que prejudiquem uma ou outra equipa. Nele convergem todas as atenções, dando-lhe uma dose de reacções normais no humano.

Se não estiver psicologicamente preparado para sobrepor-se ás reacções naturais, dificilmente poderá agir e reagir para o completo domínio das emoções. Torna-se necessário que encare as reacções, apenas como manifestações naturais. Não pode deixar que isso interfira no seu desempenho.

Para os assistentes não existe bom ou mau árbitro: existe apenas o homem que " fez a sua equipa favorita perder". Portanto, o árbitro que hoje é óptimo, amanhã poderá ser o "maior gatuno". O árbitro deve estar sempre atento para o que ocorre dentro de pista, pois num "piscar de olhos", pode-se prejudicar uma arbitragem. Ser árbitro ou ser juiz, em qualquer sector da sociedade é difícil. É sempre um homem que tem sobre si uma enorme responsabilidade.

Para aqueles que pretendem ser árbitros faria aqui algumas perguntas:

É um líder?

Não é apaixonado em demasiado por um clube?

É capaz de não se sentir abatido cada vez que o criticarem injustamente?

É capaz de se esforçar para fazer justiça, mesmo quando está a dirigir algum encontro de "ambiente mais difícil" sabendo que isso o pode prejudicar, inclusive fisicamente?

Se responder naturalmente de forma satisfatória a todas as perguntas prossiga a carreira que, apesar de ser árdua e difícil, é sobretudo dignificante e honrosa.

Ferreira da Costa




Acessos: 244628